Obesidade

Para a maioria das pessoas o termo "obesidade" significa estar muito acima do peso. Quando subimos na balança no nosso peso estão incluídos tudo o que forma o nosso corpo, a pele, fígado, estômago e outros órgãos e vísceras, os músculos, os ossos, sangue e outros líquidos e a gordura.


A obesidade é uma doença caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura no corpo, de forma generalizada ou afetando partes específicas do organismo.
Alguma pessoas, como fisiculturistas e outros atletas, podem estar acima de seu peso ideal sem serem obesos, por que os seus músculos são mais desenvolvidos e, portanto, pesam mais.

Para sabermos a quantas anda o nosso peso podemos usar o Índice de Massa Corporal , que é uma fórmula que indica se um adulto, adolescente ou criança, está acima do peso, se está obeso ou abaixo do peso ideal considerado saudável

Para avaliar o Índice de Massa Corporal (IMC), você deve dividir o seu peso (kg,) pela sua altura (m) ao quadrado:

IMC= Peso / Altura x Altura

Por exemplo: Se eu tenho 1,65 m e peso 70 kg, qual o meu Índice de Massa Corporal?

IMC = 70 / 1,65 x 1,65

         = 70 / 2,72

         = 25,73

Compare o resultado obtido:

18,5 - 24,9 - Desejável
25,0 - 29,9 - Sobrepeso
30,0 - 34,9 - Obesidade grau I
35,0 - 39,9 - Obesidade grau II
40,0 ou + - Obesidade grau III

No exemplo acima, o resultado de IMC = 25,73 seria um sobrepeso, para ter o peso desejável poderia pesar até 67 kg. Se ganhar mais 5 kg já é obesidade.

Embora a obesidade tenha várias causas, na maioria das vezes está relacionada à quantidade e à qualidade dos alimentos ingeridos. Ou seja, quando uma pessoa come mais do que seu corpo necessita para realizar suas tarefas e, de quebra, não se exercita, ela tem grandes chances de se tornar obesa.

Ser obeso, além dos problemas estéticos e psicológicos, constitui um grave problema de saúde, por que com o excesso de peso podem aparecer:
• pressão alta;
• diabetes;
• colesterol elevado;
• triglicérides elevados;
• doenças cardiovasculares.
• doenças respiratórias
• complicações ortopédicas

A obesidade é diferente de pessoa para pessoa e o uso do Índice de Massa Corporal (IMC) vê o seu peso como um todo, ignorando a distribuição da gordura no seu corpo.


Existe, por exemplo,

  • a obesidade andróide ou em formato de maçã - a maior parte da gordura se localiza nas costas, braços e barriga, deixando a parte inferior do corpo magros. Freqüentemente está associada à hipertensão, problemas digestivos, cansaço, falta de ar e problemas cardíacos. É mais comum em homens, e a gordura não se localiza somente entre a pele e os músculos, aparece também dentro da cavidade abdominal causando uma compressão interna nos órgãos.

  • a obesidade ginóide ou em formato de pêra – a maior parte da gordura se localiza nos quadris e coxas, deixando a parte superior do corpo magros.Freqüentemente está associada a alterações circulatórias e hormonais, as varizes, dores nas pernas e edema, problemas ortopédicos e estéticos. É mais comum em mulheres.

  • a obesidade mista - o acúmulo de gordura aparece na porção superior e inferior do corpo de forma uniforme. Freqüentemente está associada a alterações da obesidade ginóide e andróide. Aqui se enquadra a maioria das pessoas com síndrome de Down.


Com base nessa classificação, criou-se um índice denominado relação cintura-quadril, que é obtido pela divisão da circunferência da cintura abdominal pela circunferência do quadril. De uma forma geral se aceita que existem riscos quando a relação cintura-quadril for maior do que 0,9 no homem e 0,8 na mulher.

A simples medida da circunferência abdominal também já é considerada um indicador de risco para complicações da obesidade, definida de acordo com o sexo do paciente:

                 Risco aumentado    Risco muito aumentado
Homem          94 cm                        102 cm
Mulher           80 cm                          88 cm


A gordura corporal pode ser estimada também através da medida das pregas cutâneas, do cálculo da bioimpedância, da tomografia computadorizada, do ultrassom e da ressonância nuclear magnética, mas essas técnicas não são utilizadas como rotina.

Lembrando, novamente, que embora a obesidade tenha várias causas, que ela tenha vários tipos, sempre está  relacionada à quantidade e à qualidade dos alimentos ingeridos. Ou seja, quando uma pessoa come mais do que seu corpo necessita para realizar suas tarefas e, de quebra, não se exercita, ela tem grandes chances de se tornar obesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário